quarta-feira, 14 de agosto de 2013

All Thanks To a Waterfall - Parte 3.

Acordei já havia amanhecido. Olhei para o lado e vi Demi. Ela era linda até dormindo. Ela dormia tranquilamente, mas infelizmente eu tinha de acorda-la. Nós não podemos ficar ali para sempre. E outra, temos que comer. Eu estou morrendo de fome, e tenho certeza de que Demi também. Temos que achar algo para comer e achar um jeito de sair dali. 
Demi começou a se mexer. Presumi que estivesse acordando. Ela olhou para o lado e sorriu.  
— Bom dia. — Disse sorrindo. 
— Bom dia. — Acariciei seus cabelos.
Demi sentou-se e me olhou. Sorri e tirei uma mecha que caia em seus olhos. 
— Estou com fome. — Disse com os olhos fechados, apreciando o carinho que eu fazia em seus cabelos.
— Eu também. — Lhe dei um selinho.
— Quando vamos sair daqui? — Perguntou, entediada.
— Sinceramente? — Perguntei. Ela assentiu. — Eu não sei. Ou nós saímos daqui achando uma saída, ou, nós esperamos ajuda. Pois nossos parentes vão sentir a nossa falta.
— Acho que os meus não. — Disse cabisbaixa. 
— Por quê? — Perguntei e juntei-me mais á seu corpo. 
— Eu estou aqui de passagem, Joe. — Disse, fazendo carinho em minha bochecha.
— Como assim? — Olhei-a confuso. Ela não morava ali? Agora eu sei por que é que eu nunca havia visto-a antes. Essa cidade é pequena, creio que conheço toda a população que nela vive. Mas eu nunca havia visto Demi. Agora tudo está explicado.
— Eu moro em Los Angeles, Joe. Eu vim aqui porque estou de férias da faculdade. — Olhou-me nos olhos. — Eu vou embora depois que eu sair desse lugar. — Ela sorriu fraco. 
Eu não estou acreditando que estou gostando de uma garota que vai embora logo depois de sair dessa floresta. Por que comigo? Droga!
— E você mora sozinha? 
— Sim, meus pais moram na Europa. Mas, minha irmã mora em Los Angeles. Só que não comigo. 
— Entendi. — Abaixei a cabeça.
— E você? Mora sozinho? — Ela perguntou.
— Não. Eu moro com meu irmão mais novo de dezoito anos. 
— E seus pais? 
— Eles morreram quando eu tinha dez anos. — Comentei triste.
— Ai, sinto muito. Eu não sabia. — Sorriu tímida. Ela era muito fofa!
— Tudo bem. — Sorri de lado.
— Vamos embora? — Perguntou.
— Vamos. Eu vou tentar tirar agente daqui, ta bom? 
— Tá. — Ela sorriu e me deu um leve beijo nos lábios.
Nós começamos a andar tentando achar uma saída, mas estava difícil. Andamos, andamos, andamos e nada. Demi não parava de resmungar e choramingar dizendo que estava cansada e com fome. Na verdade, ela não era única á estar cansada e com fome. Eu também estava. Já eram quase seis horas. Como que eu sei disso? Simples, de onde eu e Demi estávamos dá pra ver o sol se pondo. E é lindo. Nunca havia visto coisa parecida. 
— Joe. — Chamou-me.
— Sim? — Disse olhando-a.
Estávamos sentados em uma pedra vendo o por sol. Havíamos andado por horas e nada!
— Quando vamos sair daqui? — Perguntou de um jeitinho fofinho.
— Não sei Demi. Juro que não sei. — Sussurrei.
— Eu me lembro que antes de vim parar nessa floresta, eu vi o por do sol numa cachoeira é era lindo. Igual é esse. Mas não era a cachoeira que eu cai. Era longe daqui. Bem longe. — Comentou sorrindo.
Quando a Demi disso aquilo eu lembrei de uma coisa. A cachoeira na qual ela estava falando é o único lugar que dá pra ver o por do sol nessa cidade. De nenhum outro lugar dá pra ver o por do sol. Então, isso significa que estamos perto dessa cachoeira. E eu sei onde fica essa cacheira e sei voltar de lá também. Aliás, eu sempre vou lá pra ver o por do sol. Eu só não sei ir pra lá por esse caminho, pois eu sempre vou pela cidade. Mas eu dou jeito.
— Demi é isso. — Disse sorrindo. Eu me levantei e sai correndo, Demi seguiu-me. 
— Espera ai! Aonde vamos? — Ela perguntou confusa. Eu parei e olhei para os lados. Havia dois caminhos. E agora direito ou esquerdo.
— Precisamos encontrar essa cachoeira. — Disse indeciso em qual caminho pegar.
— Por quê? 
— Por que sim. — Disse olhando para os lados. Quer saber eu vou é tirar no uni duni tê. 
— Uni duni tê, salamê minguê, minha mãe mandou eu escolher você. — Apontei para a esquerda. — Mas como eu sou teimoso eu vou escolher você. — Apontei para a direita. Demi me olhou incrédula. — Que foi? 
— Sério que você vai escolher no uni duni tê? — Assenti. — Ah, Joe.
— O que você sugere? — Perguntei, cruzando os baços em meu peito.
— A esquerda sou eu e a direita você. Par. — Olhei pra ela e dei de ombros. 
— Impar. — Coloquei cinco e Demi três. 
— Oito. — Ela disse. — Esquerda.
— Se o caminho não for esse. Eu faço questão de voltar naquela cachoeira e te jogar de novo de lá de cima. — Disse num tom ameaçador. Demi arregalou os olhos. — Tô brincando. Vamos. 
Puxei Demi e fomos pela esquerda. Andamos por aproximadamente vinte e cinco minutos, até que achamos o rio, estávamos salvos! Daqui eu sei ir embora. 
— Estamos salvos! — Gritei. Peguei Demi no colo e beijei-a com muito amor e desejo. É eu estava me apaixonando por essa garota. 
— Ai que maravilha. — Sorriu e me beijou.
— Vem vamos embora. — Segurei em sua mão e fomos andando.
Trinta minutos depois estávamos na cidade. É valeu a pena ter tirado no par ou impar do que no uni duni tê. 
Andamos mais dez minutinhos e estávamos na minha casa. Entramos subimos para meu quarto e sentamos na cama. Nick, meu irmão, não estava em casa. Ele havia ido viajar para a casa da namorada dele Selena, e só irá voltar amanhã as dez da manhã.
— Finalmente saímos de lá. — Disse sorrindo. 
— Pois é não aguentava mais sentar naquelas pedras. — Ela disse fazendo careta. Eu ri. 
— Você que tomar banho? Tem roupas da Selena aqui. Acho que servem em você. 
— Quem é Selena? 
— A namora do meu irmão Nick. 
— Ah. Se não for incomodo. Quero sim. — Ela sorriu. 
— Que isso. Não vai ser incomodo. Vou pegar uma roupa da Selena pra você. — Eu fui até o quarto do Nick e peguei uma roupa da Selena e voltei para meu quarto e peguei uma toalha e entreguei à Demi.
— Aqui. Pode tomar banho no meu banheiro. 
— Tá. — Ela entrou no banheiro e eu me joguei na cama. 
Depois de uns minutos Demi saiu do banheiro com o pijama de Selena e com a toalha na cabeça como um turbante. 
— Cadê sua roupa pra mim por pra lavar pra amanhã amanhecer seca pra você ir embora. 
— Aqui. — Ela me deu sua roupa e eu fui até a lavanderia e coloquei a roupa na maquina. Mas antes eu vi sua calcinha e... que calcinha! Ela usa calcinha fio dental. Opa, gostei!
Eu voltei para o quarto e peguei minha roupa para tomar banho.
— Fique a vontade, eu só vou toma banho. — Ela assentiu e eu fui ao banheiro. 
[...]
Nós estávamos sentados na cama assistindo á um filme. Havíamos nos empanturrados de comida quer dizer de porcarias, mas dá no mesmo.
— Fazia tempo que eu não me divertia desse jeito hein. — Disse rindo. 
— Eu também. — Eu disse rindo.
Demi continuou rindo mas eu parei e comecei a observá-la. Ela era perfeita de todos os ângulos. Quando ela notou que eu á observava parou de rir e me olhou confusa. 
— O quê foi? 
Eu nada respondi, apenas beijei-a e ela respondeu de bom grato. Eu a queria. Eu queria torná-la mulher e queria que ela me tornasse homem. Mesmo a conhecendo pouco, eu sinto que já a amo. 
— Demi, eu quero você. — Disse, ofegando.
— Joe... — A interrompi.
— Eu te amo. Eu quero fazê-la minha. 
Demi não respondeu apenas me beijou e se deixou levar pelos meus encantos e carícias. 
Logo havíamos nos entregado um ao outro.
~To Be Continued. 


Oi lindos(as),
Bem comentem e marquem no “oi eu li” ok?!
Beijos meus pandas.

6 comentários:

Iza Moraiis disse...

ai que lindo, posta mais um hojeee por favooooor, ta lindo demaiis

Mariana Barrozo disse...

Eu li .
Peeeeeeerfeituuu.
Posta loguu!!!

Anônimo disse...

Perfeito. Amei

posta logo

Danyelle Alves disse...

muitoo lindoo ...amei sério! Posta logo viu? Hahaahahah to ansiosa

♥ Demi e Joe Forever ♥ disse...

Owh!!!! Que graxinha rsrsr
Lindo super fofo***
Loka pelo proximo!

Jemi e Nelena Love disse...

nova seguidora :D tem como você divulgar meu blog por favor? historiaslove.blogspot.com.br